O R i o


Onde vais rio que corres
Entre margens e chorões?
Onde vais levar tuas águas
Barrentas de aluviões?

Que força te impele, rio,
Nesse correr sem parança?
Onde pretendes chegar?
Ao mar largo, sem bonança?

Queda-te um pouco, um pouquinho
E fica à sombra das margens
A sussurrar de mansinho

Tuas velhas correrias
E tuas mansas viagens
Desde o dealbar dos dias...

by Paulo César

publicado por Paulo César às 01:54